Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pingos de Chuva

Depois da chuva passar, haverá sempre um arco-iris no céu

Pingos de Chuva

Depois da chuva passar, haverá sempre um arco-iris no céu

15.05.20

Netflix, por supuesto

chuviscado por Pingos de Chuva

Depois de anos e anos a ver quase exclusivamente séries americanas, ou melhor, em língua inglesa, veio a Netflix (e a quarentena com mais tempo disponível) para me mostrar que os nuestros vizinhos também têm séries bem interessantes. Começou com o fenómeno de La Casa de Papel e depois Elite e nestes últimos tempos mais umas quantas. Curiosamente, (quase) todas de época. Toy Boy, La Catedral del Mar (séc XIV), Alta Mar (anos 40), O Tempo Entre Costuras (anos 30) também filmada em Lisboa e com actores portugueses e acabei agora Tempos de Guerra (anos 20). Não são super produções mas não ficam atrás de muitas séries americanas. Ainda vi a francesa Le Bazar de La Charité e a italiana Luna Nera (esta não era grande coisa). Para os próximos tempos Gran Hotel e As Telefonistas. Claro que também vi séries americanas e inglesas (Broadchurch muito boa) mas nada como ir alternando entre umas e outras.

12.03.19

Outlander

chuviscado por Pingos de Chuva

outlander-outrolado.jpg

Primeira e segunda temporada despachadas. A começar a terceira. Foi das primeiras séries adicionadas á minha lista da Netflix e por lá foi ficando enquanto ia vendo alguns filmes e outras séries - As Crónicas de Shannara, The Land Girls, La Casa de Papel. Comecei com Sobrevivente Designado mas queria outra história "diferente" por isso resolvi experimentar Outlander e.... fiquei viciada (claro que o personagem masculino principal, um "verdadeiro exemplar escocês", ajudou assim como as paisagens lindas de morrer, o sotaque que adoro ouvir e a história com factos verdadeiros). Tem 4 temporadas, com a 5 a caminho, mas só estão disponíveis as 3 primeiras e já começo a pensar onde vou sacar a 4...

19.04.18

A Neflix e eu

chuviscado por Pingos de Chuva

Longe vão os tempos em que apenas tínhamos á disposição 2 canais de televisão e já era muito bom. Sim, ainda sou desse tempo pré histórico. Hoje temos centenas de opções mas mesmo assim não chega. Parece que há um pacto entre todos, principalmente ao sábado á noite e domingo, para só passarem séries em loop e filmes tão fraquinhos ou então repetidos até á exaustão, já para não falarmos das 30 novelas seguidas, programas de porrada comentários sobre futebol e reality shows com elevado interesse cultural e do mais didactico que há. Resumindo, depois de muito ouvir falar em maratonas de séries, serões e tardes passadas a ver temporadas de enfiada, resolvi aderir á Netflix. E, embora não faça maratonas, já deu para ver alguns filmes, a 1a temporada de The Crown e, depois de tanto ouvir falar, vou a meio da 1a parte de La Casa de Papel. Confesso que entrei na onda e desde 2a feira vejo 2 episódios por noite. Ou melhor, obrigo-me a ver SÓ DOIS episódios porque, se me deixasse, era até ás tantas e se de manhã já me custa horrores a sair da cama imagina se fizesse noitada a ver séries. Depois de passarmos a vida a ser bombardeados por séries e filmes americanos/ingleses, foi uma surpresa ver uma série espanhola a dar tanto que falar. Acho que desde o longínquo Verano Azul (quem anda pelos 40s sabe do que falo, quem não anda pode ir cuscar no You Tube) que não via uma série que não fosse falada em inglês. E estou a adorar 😊

Mais sobre mim

A ler ao som da chuva

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Como nem sempre faço referência, as fotos que aqui aparecem são retiradas da internet excepto as minhas que estão identificadas. Se alguma estiver protegida por direitos de autor, agradeço que me avisem e serão retiradas imediatamente.