Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pingos de Chuva

Depois da chuva passar, haverá sempre um arco-iris no céu

Pingos de Chuva

Depois da chuva passar, haverá sempre um arco-iris no céu

07.02.20

Ao abandono

chuviscado por Pingos de Chuva

Este blog encontra-se ao abandono. Gostava de ter aventuras para contar, acontecimentos de filhos/marido/namorado/cão/gato para relatar, viagens para dar a conhecer mas não tenho. E até opiniões sobre o que se passa no mundo ficam por partilhar. A minha vida limita-se á nada interessante rotina casa-trabalho-casa e tudo mais o que possa acontecer além disso não tem nada digno de ser dado a conhecer a alguém. Ou será que alguém quer saber a minha lista de compras do supermercado ou o que tenho de roupa para lavar e casa para limpar? Como dizia o miúdo do Sózinho em Casa, "I don't think so"

Gostava de ter inspiração para escrever e até desabafar aqui o que me passa pela cabeça mas não consigo. Ás vezes penso em alguma coisa e até "alinhavo" um post mentalmente mas depois acaba por ficar tudo cá dentro.

Isto não quer dizer que o blog vai acabar. Não. Quase a fazer 11 anos, é para continuar. É só ter assunto para partilhar. 

28.12.19

E assim....

chuviscado por Pingos de Chuva

..., num piscar de olhos, passou o Natal. Parece que ainda ontem era Setembro, estava tudo de regresso das férias e puf! O Natal já se foi e o fim de ano está quase. Este ano senti o tempo passar mais depressa. Sempre tive tempo para fazer as compras nas calmas, ir dar a minha volta pelas luzes da Baixa e ainda me sobrava tempo para apreciar a atmosfera de natal que tomava conta da cidade. Mas este ano, embora tenha despachado as compras cedo, o resto foi ficando sempre para depois. Passei os fins de semana (o único tempo livre que tenho) a correr de um lado para o outro e até no trabalho, ao contrário do que é habitual, porque tento sempre adiantar serviço mais cedo, acumulei coisas para fazer, fui deixando para o dia a seguir. É a época em que os dias são mais preenchidos e os prazos chegam mais depressa. Felizmente, já consegui pôr (quase) tudo em ordem. Agora venha o novo ano, a passagem de ano (que não me diz nada, é um dia/noite como outro) e a volta ás rotinas. E o mês de Janeiro, de que não gosto. Depois da época do ano de que mais gosto, de Setembro ao Natal, vem o mês mais "vazio" do ano, que parece não acabar mais.

02.12.19

O Natal cá de casa🎄

chuviscado por Pingos de Chuva

20191201_220300-01.jpeg

20191201_220406-01.jpeg

20191201_221326-01.jpeg

20191201_221217-01.jpegFeito desde sábado. Sem grande jeito para decorações é o que se arranja. Ainda mantive uma luta com a iluminação que esteve a isto de voar pela janela (para depois descobrir que era uma já velha e metade sem funcionar 😁) A colecção de presépios, entretanto, já tem mais um. Já se tornou "tradição" comprar um todos os anos (depois estranho quando vou arrumar tudo e me falta espaço 😉)

12.11.19

Da amizade e o Facebook

chuviscado por Pingos de Chuva

Uma das (poucas) coisas boas que o Facebook tem é dar-nos a oportunidade de reencontrar amizades antigas que, apesar de terem ficado lá atrás, nunca foram esquecidas. E foi o que me aconteceu. Há dias apareceu-me um pedido de amizade em que reconheci logo o nome. Uma colega de escola de vários anos. Éramos inseparáveis, partilhávamos tudo mas quando apareceu um namorado, hoje marido, acabámos por nos afastar. Não porque nos tivéssemos chateado, apenas alguém se tinha intrometido no meio das duas. A vida continuou e cada uma seguiu a sua mas nunca nos esquecemos uma da outra. Ainda nos encontrámos de passagem passados uns anos mas nunca mais nos tornámos a ver. Até que ela um dia vê uma publicação no Facebook do meu trabalho e através de um colega meu chega até mim. Ao longo dos anos eu já tinha tentado encontrá-la mas só me lembrava do apelido de solteira e ela usava o do marido. Logo nesse dia trocámos mensagens até ás tantas e percebemos que íamos as duas á corrida Sempre Mulher que foi no passado domingo. Aliás, já lá tínhamos estado as duas noutros anos sem sabermos. Combinámos encontrar-nos lá e no domingo, quando nos voltámos a ver, foi como se não nos víssemos há dois dias. A diferença é que temos mais de 20 anos de conversas em atraso. Fomos o tempo todo a conversar sobre o que se passou nas nossas vidas nestes anos todos. O que de bom nos aconteceu mas também as fases complicadas por que passámos. Memórias nossas, de coisas que, como ela disse, só nós é que sabíamos e entenderíamos. Combinámos voltar a encontrar-nos outra vez para continuarmos a "pôr a conversa em dia". E há ainda tanto para "actualizar"...

Mais sobre mim

A ler ao som da chuva

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Como nem sempre faço referência, as fotos que aqui aparecem são retiradas da internet excepto as minhas que estão identificadas. Se alguma estiver protegida por direitos de autor, agradeço que me avisem e serão retiradas imediatamente.