Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Pingos de Chuva

Depois da chuva passar, haverá sempre um arco-iris no céu

Pingos de Chuva

Depois da chuva passar, haverá sempre um arco-iris no céu

O que é antigo tem sempre valor

Acho que já aqui disse que gosto de fotografia. E das coisas que mais gosto de fotografar são monumentos, igrejas, capelas, tudo o que seja edifício antigo. Fico fascinada por uma fachada cheia de pormenores, trabalhos feitos na pedra há séculos atrás com as ferramentas mais simples e que hoje seriam feitos com as mais modernas máquinas. Olho para esses pormenores e penso que foram feitos por pessoas fisicamente iguais a nós mas com um estilo e maneira de viver completamente diferente da nossa. Mas isso é outra história. Voltando aos edifícios antigos, não percebo muito de estilos nem sequer os diferencio mas gosto de ver paredes trabalhadas, cheias de figuras, relevos, que muitas vezes têm uma história própria e que demoraram anos e, ás vezes, séculos a serem concluídos. Quando li os livros e vi depois a série Os Pilares da Terra, deu para perceber como era difícil e longa a construção de edifícios que ainda hoje existem e que por isso mesmo, para mim pelo menos, têm mais valor que qualquer caixote de cimento e vidro.

Isto tudo a propósito de quê? Há uns dias, todos vimos nas noticias o edifício que ardeu na zona das Avenidas novas. E o que me custou mais, além das pessoas que viram a sua vida afectada por isso (já passei por algo parecido), foi ver um prédio antigo, como muitos os que existem naquela zona e alguns até com prémios Valmor, com uma fachada linda, toda cheia de relevos nas varandas e janelas, a ficar praticamente reduzido á fachada que mais cedo ou mais tarde, por motivos de segurança, virá abaixo. Sei que outros interesses haverão, até porque a zona é muito boa, e que deitar abaixo prédios antigos em mau estado seria o mais aconselhável porque recuperá-los é muito dispendioso, mas continuo a sentir pena de ver trabalhos tão bonitos serem destruídos.

Mas também há soluções como já vi perto daquele local: aproveitaram a parte da frente, deitaram tudo o resto abaixo e construíram um novo edifício colado ao que restou do antigo. Pelo menos, preservou-se a parte mais bonita. Uma boa solução. Sempre é melhor que nada.

 

Nota: É apenas a minha opinião. De alguém percebe rigorosamente nada de arquitectura ou engenharia civil, apenas gosta de edifícios antigos

4 comentários

Comentar post